1.12.2007

O Monge e a Prostituta(Meditação para o Fdsemana)

O MONGE E A PROSTITUTA
Buda estava a passar alguns dias em Vaishali, onde Amrapali viveu - Amrapali era uma prostituta. No tempo de Buda, na Índia, era uma prática comum as mulheres mais bonitas de cada ci­dade não se casarem com uma única pessoa, pois isso iria causar inveja e conflitos desnecessários.
Então as mulheres mais belas tinham que se tornar nagarvadhu - esposas de toda a cidade. Isso não trazia uma má reputação, pelo contrário, elas eram muito respeitadas. Não eram prostitutas comuns. Só eram visitadas por aqueles que eram muito ricos como reis, príncipes, generais, pessoas do mais alto nivel social.
Amparali era muito bonita. Um dia estava a olhar a rua da sua varanda e viu um jovem monge budista. Ela nunca se tinha apaixonado por ninguém, mas subitamente apaixonou-se por esse jovem, que possuía uma enorme presença, percepção e graça.
Ela desceu a correr na sua direcção e disse-lhe: "Dentro de três dias a estação das chuvas irá começar."
Como sabia que os monges budistas permaneciam no mesmo lugar durante os quatro meses da estação das chuvas, Amrapali disse: "Convido-te para ficar na minha casa durante os próximos quatro meses."
O jovem monge respondeu: "Vou perguntar ao meu mestre e se ele me permitir, ficarei."
O jovem monge foi, tocou os pés de Buda e contou a ele a história toda. "Ela me pediu para ficar durante quatro meses na sua casa. Eu disse a ela que iria perguntar ao meu mestre, então aqui estou eu. Farei o que o mestre disser."
Buda olhou em seus olhos e disse: "Você pode ficar."
Era um choque. Dez mil monges... Havia um grande silêncio, e ao mesmo tempo uma energia de muita raiva e muita inveja.
Depois que o jovem foi para ficar com Amrapali, os monges voltavam todos os dias com comentários: "Toda a cidade está em ebulição. Só se fala numa coisa: que um monge budista está na casa de Amrapali."
Buda disse: "Vocês deveriam ficar em silêncio. Eu confio no meu monge. Olhei nos seus olhos e não havia desejo. Se eu tivesse dito não, ele não teria se chateado. Eu disse sim, e ele foi. Por que vocês estão tão agitados e preocupados?"
Após quatro meses o jovem regressou, tocou os pés de Buda e atrás dele estava Amrapali, vestida como uma monja budista. Ela tocou os pés de Buda e disse: "Fiz o possível para seduzir o seu monge, mas foi ele que me seduziu. Convenceu-me, pela sua presença e percepção, que a verdadeira vida consiste em segui-La."
Buda disse então para os outros monges: "Estão satisfeitos ?"
Se a meditação for profunda e se a percepção for clara, nada irá pertuba-lá.
Amrarali tornou-se uma das mulheres mais iluminadas entre os discípulos de Buda.
Osho

COMO é bom ler aqueles que atravessaram a margem do rio :
Onde quer que tu estejas,
fica centrado, fica alerta, vive de forma mais consciente.
Não há nenhum outro lugar para ir.
Tudo o que precisa acontecer deve acontecer dentro de ti,
e isso só depende de ti.
Tu não és uma marionete,
e as cordas que a sustentam não estão na mão de ninguém.
Tu és um indivíduo(a) absolutamente livre.
Se decidires permanecer nas ilusões, poderás permanecer assim por muitas e muitas vidas.

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Mané
O caminho que cada um toma, é apenas um caminho. O importante é sermos a nossa luz, iluminando todos com as nossas palavras, os nossos actos, a nossa coragem, a nossa fé, o nosso sorriso.
Bjs

11:52:00 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home