5.11.2007

Tornando-se centrado!

TORNANDO-SE CENTRADO
A gente tenta a toda hora mudar as situações que passamos em nossas vidas mas esquecemos principalmente que o que realmente importa é nossa atitude perante elas. São nossas atitudes que demonstram nosso verdadeiro estado de consciência, nosso verdadeiro equilíbrio e principalmente se estamos deixando de teorizar e praticando mais aquilo que estudamos. Logicamente temos liberdade para escolher o que queremos ou não para nossas vidas, mas são nas escolhas que o equilíbrio e uma mente serena são fundamentais para saber realmente se estamos sendo conscientes ou apenas satisfazendo os caprichos do nosso ego. Saber exatamente quando ousar e quando ficar quieto, quando andar e quando ficar parado, quando investir ou quando abandonar algo faz parte da maturidade espiritual que todos nós buscamos... e tanto sonhamos.Fique centrado. Não se deixe manipular pelas opiniões dos outros ou pelas suas tentativas de empurrar você para cá e para lá. Não se rebaixe ao nível dos outros. Uma vez, nos tempos de Buda, aconteceu que uma das lindas e famosas prostitutas se apaixonou por um monge budista, um mendigo...Ela pediu que ele viesse à sua casa e que lá permanecesse por quatro meses, durante a estação das chuvas, em que os monges budistas interrompem suas viagens. O monge disse: "Terei que perguntar ao Mestre. Se ele permitir, eu irei". Os outros monges ficaram com muita inveja. Quando o jovem veio até Buda e fez o pedido, muitos ouviram. Todos se levantaram e disseram: "Isto está errado. Até mesmo ter permitido àquela mulher tocar seus pés foi errado, pois Buda disse: "Não toque nas mulheres e não deixe que elas o toquem". Você quebrou a regra... e agora está pedindo para ficar com uma mulher por quatro meses!".Mas Buda comentou: "Eu lhes falei para não tocarem nas mulheres e não serem tocados por elas porque vocês ainda não estão centrados. Para este homem, esta regra não mais se aplica. Eu o estive observando - ele já não faz parte da multidão". E ao monge ele disse: "Sim, você tem permissão".Ora, isso era demais! Nunca aconteceu algo assim antes. Todos os discípulos ficaram zangados, e durante meses milhares de fofocas circularam, exagerando o que estava ocorrendo na casa de Amrapalli - que o monge não era mais monge, que havia caído. Depois de quatro meses, quando o monge voltou, seguido por Amrapalli, Buda olhou para eles e perguntou: "Mulher, você tem algo a me dizer?".Ela disse: "Vim para ser iniciada. Tentei distrair seu discípulo, mas falhei. Esta é minha primeira derrota. Sempre tive sucesso com homens, porém não pude distraí-lo, nem ao menos um centímetro. Um grande desejo nasceu em mim também; como posso alcançar este centramento?""Ele viveu comigo, eu dancei e cantei diante dele, tentei seduzi-lo de todas as maneiras, mas ele sempre permaneceu ele mesmo. Nem por um único momento vi qualquer nuvem em sua mente ou qualquer desejo em seus olhos. Tentei convertê-lo, mas ele me converteu, e sem dizer uma única palavra. Ele não me trouxe até aqui; vim por conta própria. Conheci pela primeira vez o que é dignidade. Gostaria de aprender a arte". Ela se tornou discípula de Buda.Ele sempre caminha por si mesmo... Não há maneira de empurrá-lo para cá e para lá. Ele permanece absoluta-mente ele mesmo, de tão centrado que é, de tão enraizado que está em seu ser. Quando se encontra Turiya, o quarto estado, então não existe distração, então pode-se viver em qualquer lugar. Não tente mudar as circunstâncias de sua vida; tente mudar suas atitudes.Utilize a situação exterior para transformar seu estado interior. Mudar a situação não é uma grande mudança - você está enganando a si mesmo e o mundo. A verdadeira religião consiste em mudar o estado de consciência.Busque o mais elevado. Quando você conhece as esferas superiores de sua energia, o inferior começa a definhar espontaneamente. Essa é a verdadeira religião.
Osho

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home