1.31.2008

Conhecer a Solidão!

Conhecer a Solidão

A solidão é completamente diferente do estar só. Para estarmos sós, temos de ultrapassar a solidão. A solidão não pode ser comparada com o estar só. O homem que conhece a solidão nunca pode conhecer aquilo que está só. Será que vocês estão nesse estado de estar só? As nossas mentes não estão integradas para estarem sós. O próprio processo da mente gera a separação. E aquilo que separa conhece a solidão.
Mas o estar só não gera separação. É algo que não é a massa, que não é influenciado pela massa, que não é resultado da massa, que não é construído como a mente é; a mente é da massa. A mente não é uma entidade que está só, ela foi construída, acumulada, manufacturadao dos séculos. A mente nunca pode estar só. A mente nunca pode conhecer o que é estar só. Mas ao estarmos atentos à solidão quando a atravessamos, pode acontecer esse estar só. Só então pode ter lugar aquilo que é imensurável. Infelizmente, a maioria de nós procura a dependência. Queremos companheiros, queremos amigos, queremos viver num estado de separação, num estado que origina o conflito. Aquilo que está só nunca está num estado de conflito. Mas a mente nunca pode aperceber-se disso, nunca pode compreendê-lo, apenas pode conhecer a solidão

O Vosso Deus nao é Deus!

O Vosso Deus Não É Deus
Um homem que acredite em Deus nunca poderá encontrá-lo. Se vocês estiverem abertos à realidade, não podem ter nenhuma crença na realidade. Se vocês estiverem abertos ao desconhecido, não podem ter nenhuma crença nele. Afinal, a crença é uma forma de autoprotecção, e só uma mente mesquinha pode acreditar em Deus. Olhem para a crença dos aviadores da Segunda Guerra Mundial que diziam que Deus era a sua companhia enquanto iam deitanto bombas! Portanto, vocês acreditam em Deus enquanto estão a matar, enquanto estão a explorar as pessoas. Vocês veneram a Deus e continuam, implacavelmente, a extorquir dinheiro, a sustentar o exército - e no entanto dizem que acreditam na misericórida, na compaixão, na bondade... Enquanto exisitir a crença nunca poderá surgir o desconhecido; não se pode pensar sobre o desconhecido, o pensamento não o pode medir. A mente é o produto do passado, é o resultado de ontem, e poderá uma mente assim estar aberta ao desconhecido? Ela só pode projectar uma imagem, mas essa projecção não é real; portanto, o vosso Deus não é Deus - é uma imagem da vossa própria autoria, uma imagem da vossa própria satisfação. Só pode existir realidade quando a mente compreende a totalidade do seu próprio processo e chega a um fim. É só quando a mente está completamente vazia que se torna capaz de receber o desconhecido. A mente não se encontra pura senão quando compreende o conteúdo do relacionamento - do seu relacionamento com os bens, com as pessoas -, senão quando estabelece o relacionamento certo com tudo o que existe. Enquanto não compreender todo o processo do conflito, a mente não pode ser livre. É só quando a mente está completamente silenciosa, completamente inactiva, sem estar a projectar, quando não procura e está inteiramente tranquila - é só nessa altura que ganha existência aquilo que é eterno e intemporal

A Mente sem Amarras!


A Mente sem Amarras

A Transformação do mundo é originada pela transformação de cada um de nós, porque o eu é o produto e uma parte do processo total da existência humana. Para se transformarem, é essencial o autoconhecimento; sem saberem o que são, não existe qualquer base para o pensamento correcto e sem se conhecerem a vós mesmos, não pode haver transformação. Devem conhecer-se tal como são, não como desejam ser, o que é apenas um ideal e portanto fictício, irreal; é somente aquilo que é que pode ser transformado, não aquilo que vocês desejam que seja. Conhecermo-nos tal como realmente somos requer uma extraordinária atenção por parte da mente, porque o que é está continuamente em transformação, em mudança; e para o seguir com rapidez e vivacidade, a mente não pode estar amarrada a nenhum dogma, crença ou padrão de acção em particular. Para se seguir algo, não é bom ter-se amarras. Para se conhecerem a vós mesmos, devem ter a consciência, o estado de atenção da mente no qual há a libertação de todas as crenças, de todas as idealizações, porque as crenças e os ideais apenas nos dão uma cor, pervertendo a verdadeira percepção. Se quiserem saber o que são, não podem imaginar ou acreditar numa coisa que não são. Se sou ganancioso, invejoso, violento, o mero facto de ter um ideal de não-violência, de não ser ganancioso, de nada adianta... A compreensão daquilo que são, o que quer que sejam - feios ou bonitos, malvados ou perversos -, a compreensão do que vocês são, sem distorção,é o princípio da virtude. A virtude é essencial, porque dela vem a liberdade.

1.25.2008

Babaji a ensinar!

1.24.2008

Segredos dos Homens que mudaram a História!

SEGREDOS
DOS HOMENS QUE MUDARAM
A HISTÓRIA

No livro intitulado "Nunca desista de seus sonhos", o autor
Augusto Cury tece interessantes considerações a respeito da capacidade humana de alterar o curso da própria história.
Diz ele, em resumo, que a maior genialidade não é aquela
que vem da carga genética, nem a que é produzida pela cultura acadêmica. Mas sim, aquela que é construída nos vales dos medos, nos desertos das dificuldades, nos invernos da existência, no mercado dos desafios.
Muitos sonhadores desenvolveram áreas nobres da sua
inteligência, atravessando turbulências aparentemente insuperáveis. Suportaram pressões que poucos aguentam. Viveram dias ansiosos,
sentiram-se pequenos diante dos obstáculos.
Alguns foram chamados de loucos, outros, de tolos. Zombaram de alguns, outros foram discriminados. Tinham todos os
motivos para desistir de seus sonhos, mas não desistiram. Quais foram
seus segredos?
Eles fizeram da vida uma aventura. Não foram aprisionados pela rotina. Embora não seja possível escapar
da rotina, esses sonhadores passaram parte de suas vidas criando,
inventando, descobrindo.
Tiveram uma visão panorâmica da existência mesmo
em tempo nublado. Foram empreendedores, estrategistas, persuasivos,
amigos do otimismo. Foram sociáveis, observadores, analíticos
e críticos.
Fizeram escolhas, traçaram metas e as executaram com
paciência. Segundo o filósofo Kant, "a paciência é amarga, mas
seus frutos são doces." A paciência é o diamante da personalidade. Muitos discorrem sobre ela, mas são poucos os que a
conquistam e colhem seus frutos.
Para Plutarco, "a paciência tem mais poder do que
a força". Não se pode medir um ser humano pelo seu poder político
e financeiro. Ele pode ser avaliado pela grandeza de seus sonhos
e pela paciência em executá-los.
No entanto, a paciência é um dos remos que impulsiona
o barco dos sonhos. O outro remo é a coragem. É necessário ter-se
coragem para correr riscos e superar os obstáculos. Aqueles que
têm medo jamais navegam em mares desconhecidos.
E por isso mesmo nunca serão capazes de conquistar
outros continentes. Os homens que transformaram seus sonhos em realidade aprenderam a ser líderes de si mesmos para depois liderar
o mundo que os cercava.
Tinham uma ambição positiva, queriam transformar a sociedade
em que estavam inseridos. Foram dominados por um desejo de serem
úteis para os outros. É possível destruir o sonho de um ser humano
quando ele sonha para si, mas é impossível destruir seu sonho
quando ele sonha para os outros.
Os ditadores jamais conseguiram destruir os sonhos daqueles
que sonharam com a liberdade do seu povo. Morrem os ditadores,
enferrujam-se as armas, mas não se pode destruir os sonhos
de quem ama ser livre.
* * *
O esforço em direção ao ideal traçado é ônus intransferível
de cada ser. Paciência e coragem servem de ferramentas poderosas
na realização de sonhos. No entanto, acima de tudo isso há a vontade
soberana e poderosa, capaz de justificar o início de qualquer projeto, bem
como de motivar-nos a seguir em frente.
Pensemos nisso.

A Morte da Mente!

A mente é a fonte de todo desejo; assim, tente adquirir, não diamantes, mas, a morte da mente*. Deixe morrer todos os desejos pelos objetos dos sentidos, ou, concentre todos eles em Deus. Entregue todos os desejos a Deus. Renuncie a todos os instintos, impulsos, apegue-se a Ele. No Gita, o Senhor Krishna tem assegurado: "Quando você entrega tudo para Mim, o seu bem-estar e felicidade tornam-se minha responsabilidade".

*trocadilho de Swami com as expressões inglesas diamond e die-mind.

- Discurso Divino de 13 de maio de 1968.



A entrega dos frutos das ações ao Senhor é o verdadeiro sacrifício. - Baba

The Prayer - Celine Dion & Josh Groban

1.17.2008

Neste encontro com você penso!

Neste encontro com você penso.
Não me interessa o que você faz para viver. Eu quero saber o que de facto você busca e se é capaz de ousar, sonhar, encontrar as aspirações de seu coração.
Não me interessa a sua idade. Eu quero saber se você será capaz de se transformar em um Todo para pode amar, viver seus sonhos, aventurar-se a estar vivo.
Não me interessa qual o Planeta que está em quadratura com a sua Lua. Eu quero saber se você tocou o centro da sua tristeza, se você tem sido exposto pelas traições da vida, ou se tem-se contorcido e se fechado com medo da próxima dor.
Eu quero saber se você é capaz de se sentar com a dor, a sua e a minha, sem tentar escondê-la, nem melhorá-la.
Eu quero saber se você pode ficar com a alegria, a minha e a sua.
Se você é capaz de dançar loucamente e deixar que o êxtase o envolva, até as pontas dos pés e das mãos sem querer nos aconselhar a ser mais cuidadosos, mais realistas, nem nos lembrar as limitações do ser humano.
Não me interessa se a história que você me conta é verdadeira. Eu quero saber se você é capaz de desapontar o outro para ser verdadeiro consigo mesmo.
Se você é capaz de suportar a acusação da traição e não trair a própria alma. Eu quero saber se você pode ser confiável e verdadeiro. Eu quero saber se você pode ver a beleza mesmo quando o dia não está belo e se pode ligar a sua vida à presença do Grande Espírito.
Eu quero saber se você é capaz de viver com os fracassos, os seus e os meus, e mesmo assim se postar nas margens de um lago e gritar para os reflexos da Lua: "SIM".
Não me interessa onde você mora nem quanto dinheiro você ganha, eu quero saber se é capaz de acordar depois da noite do luto e do desespero, exausto e ferido até à alma, e fazer aquilo que precisa de ser feito.
Não me interessa o que você é e nem mesmo como chegou até aqui. Eu quero saber se você irá postar-se comigo no centro do Fogo e não fugir.
Não me interessa onde e com quem você estudou. Eu quero saber o que o sustenta interiormente quando tudo o mais desabou.
Eu quero saber se você é capaz de ficar só consigo mesmo e se realmente é boa companhia para si, mesmo nos momentos vazios.
Palavras de um chefe indígena a forasteiros que chegavam...

1.16.2008

A Virtude Não Tem Qualquer Autoridade!

A Virtude Não Tem Qualquer Autoridade
Poderá a mente estar liberta da autoridade, o que significa estar livre do medo, de modo a que já não seja capaz de seguir? Se assim for, isto põe fim à imitação, a qual se torna mecânica. Afinal, a virtude, a ética não são uma repetição daquilo que é bom. A partir do momento em que se torna mecânica, ela deixa de ser virtude. A virtude é algo que tem de acontecer a cada momento, tal como a humildade. A humildade não pode ser cultivada, e uma mente que não tem humildade não é capaz de aprender. Portanto a virtude não tem qualquer autoridade. A moralidade social não é moralidade nenhuma; é imoral, porque admite a competição, a ganância, a ambição, e portanto a sociedade encoraja a imoralidade. A virtude é algo que transcende a moralidade. Sem virtude, não existe ordem, e a ordem não deve existir de acordo com um padrão, de acordo com uma fórmula. Uma mente que, através da autodisciplina, segue uma fórmula para alcançar a virtude, está a criar para si própria os problemas da imoralidade.
Uma autoridade exterior pretendida pela mente, com excepção da lei, como Deus, como moral, e assim por diante, torna-se destrutiva quando a mente está a tentar compreender o que é a verdadeira virtude. Nós temos a nossa própria autoridade, sob a forma de experiência, de conhecimento, que tentamos seguir. Existe esta constante repetição, a imitação, que todos nós conhecemos. A autoridade psicológica - não a autoridade da lei, do polícia que está a manter a ordem - a autoridade psicológica, que cada um de nós tem, destrói a virtude, porque a virtude é algo vivo, em movimento. Da mesma forma que não podemos cultivar a humildade, o amor, assim também a virtude não pode ser cultivada; e nisso reside uma grande beleza. A virtude não é mecância, e sem a virtude não existem bases para se poder pensar com clareza.

Informaçoes sobre o Kriya ancestral!

Informações sobre o kriya ancestral
O Kriya Yoga é uma técnica milenar de meditação que tem como objectivo a auto-realização do ser humano. Não é sectária. Pode ser praticada por todos os credos e religiões, pois consiste em práticas que proporcionam o bem estar, a calma e o equilíbrio do ser humano. Os exercícios do Kriya Yoga não requerem necessariamente a posição de lótus, silêncio absoluto, ou afastamento do convívio social porque é uma questão de conexão, de concentração. Para praticá-la é necessário fazer a iniciação, ocasião em que o corpo e os chacras são purificados numa cerimônia e as técnicas são passadas de mestre para discípulo. A Kriya Yoga foi trazido para o ocidente na década de 20, por Paramahamsa Yogananda, autor de Autobiografia de um Yogue.
Entre outras instituições com mestres de Kriya Yoga o Instituto Kriya tem sede na Flórida, filiais na Europa, Índia e América e sobrevive de doações. Não tem caráter comercial. Não ministra cursos. Foi fundado pelo mestre realizado Paramahamsa Hariharananda, discípulo direto de Sri Yukteswar – o mesmo mestre de Yogananda – e do próprio Yogananda de quem recebeu a 2a.iniciação em kriya. Mestre realizado é todo yogue que alcança o “nirvikalpa samadhi”, estado sem pulso e sem respiração. Paramahamsa Hariharananda, carinhosamente chamado Baba, faleceu em dezembro de 2002, aos 95 anos. Ele deixou como sucessor seu discípulo predilecto, o monge indiano Paramahamsa Prajñanananda, professor de Economia, profundo conhecedor das escrituras sagradas, escritor de vários livros e fluente em várias línguas, e que está dirigindo o Instituto actualmente.
No Brasil, o Instituto Kriya teve seu primeiro grupo de iniciados em 1998, em Brasília. Em 2000 formou o primeiro grupo de São Paulo. Atualmente são mais de 1.000 pessoas que receberam o kriya do mestre Hariharananda no Brasil.
Os Programas de Kriya são montados em função das visitas de monges ou yogacharyas – que são professores e discípulos adiantados, autorizados pelo Baba a passarem o Kriya. Ou seja: não há no Brasil, por enquanto, monges, yogacharyas ou ashrams. Por isso, a iniciação só pode ser feita na ocasião dos Programas, sempre em São Paulo ou Brasília, ocasião em que há Palestras
Gratuitas abertas ao público, Retiro para os já iniciados e Novas iniciações.
(Informações em http://www.kriya.org.br/)
De referir que estão a ser desenvolvidos neste momento esforços por um conjunto de pessoas em trazer um yogacharya, discípulo de Paramahamsa Hariharananda, de nome Rajarshi Peterananda a Portugal em 2008 com o intuito de poder iniciar mais pessoas no kriya Yoga (kriyas ancestrais). Além desta iniciação irá acontecer uma outra em Portugal realizada pelo mestre Shibendu Lahiri.

QUEM ENTENDER INGLÊS E QUISER ESTUDAR SOBRE ALGUMAS PUBLICAÇÕES DE UM GRUPO DE KRIYA YOGUIS que traduz em conjunto com Swami Satyeswarananda Giri SOBRE ESCRITOS DE VÁRIOS MESTRES, COMO POR EXEMPLO, LAHIRI MAHASAYA. PODERÃO CONSULTAR EM:
http://www.sanskritclassics.com

1.13.2008

Krishamurti - A Aprendizagem nao tem Passado!

A Aprendizagem Não Tem Passado

A sabedoria é algo que tem de ser descoberto por cada um, e não é o resultado do conhecimento. O conhecimento e a sabedoria não andam a par. A sabedoria vem quando há a maturidade do autoconhecimento. Sem nos conhecermos a nós mesmos, não é possível a ordem, e portanto não existe virtude alguma.
Agora, aprendermos acerca de nós mesmos e acumularmos conhecimento sobre nós mesmos são duas coisas diferentes... Uma mente que está a adquirir conhecimento nunca está a aprender. O que está a fazer é o seguinte: está a reunir para si própria informação, experiência sob a forma de conhecimento, e a partir do fundo do que reuniu, experimenta, aprende; e portanto nunca está realmente a aprender, mas a conhecer, a adquirir.
A aprendizagem acontece sempre no presente activo; não tem passado. No momento em que vocês dizem a vós mesmos: «Aprendi», a aprendizagem já se tornou conhecimento, e a partir do fundo desse conhecimento podem acumular, traduzir, mas não podem continuar a aprender. Só uma mente que não está a adquirir, mas sempre a aprender - só uma mente assim pode compreender o todo que é esta entidade a que chamamos «eu», o self. Tenho de me conhecer a mim mesmo, a estrutura, a natureza, a importância da entidade no seu todo; mas não posso fazê-lo se estiver sobrecarregado com o fardo do meu conhecimento anterior, da minha experiência passada, ou com uma mente que está condicionada, porque nesse caso não estou a aprender, estou apenas a interpretar, a traduzir, a olhar com uns olhos que estão já turvados pelo passado.

Sigur Ros!

Svefn-g-englar

Tributo a Sigur Ros!Adoro

Saeglópu

1.10.2008

A Paz Perfeita!

A Paz Perfeita
Era uma vez um um rei que ofereceu um grande prémio ao artista que fosse capaz de captar numa pintura a paz perfeita. Foram muitos os artistas que tentaram. O rei observou e admirou todas as pinturas, mas houve apenas duas que ele realmente gostou e teve que escolher entre ambas. A primeira era... um lago muito tranqüilo. Este lago era um espelho perfeito onde se refletiam umas plácidas montanhas que o rodeavam. Sobre elas encontrava-se um céu muito azul com tênues nuvens brancas. Todos os que olharam para esta pintura pensaram que ela reflectia a paz perfeita. A segunda pintura também tinha montanhas. Mas estas eram escabrosas e estavam despidas de vegetação. Sobre elas havia um céu tempestuoso sob o qual se precipitava um forte aguaceiro com faíscas e trovões. Pela montanha abaixo parecia retumbar uma espumosa torrente de água. Tudo isto se revelava nada pacífico. Mas, quando o rei observou mais atentamente, reparou que atrás da cascata havia um arbusto crescendo de uma fenda na rocha. Nesse arbusto encontrava-se um ninho. Ali, no meio do ruído da violenta camada de água, estava um passarinho placidamente sentado no seu ninho. Paz perfeita.
Qual pensa que foi a pintura vencedora?
O rei escolheu a segunda.
E porquê?
"Porque", explicou o rei:
"Paz não significa estar num lugar sem ruídos, sem problemas, sem trabalho árduo ou sem dor."
"Paz significa que, apesar de se estar no meio de tudo isso, permanece mos calmos no nosso coração."
Este é o verdadeiro significado da" paz"

1.06.2008

Anatomia de 2008!

Anatomia de 2008

Está para encarnar em nossas mentes conscientes e despertas uma Nova Onda de Luz.Numa imensa nave-laboratório, um Irmão do Espaço Profundo orienta os artífices estelares em sua precisa engenharia de amor e sabedoria sobre nós, humanidade.
Em 2008, todo o corpo planetário ganhará um presente em seu núcleo mais central... um pequenino, infinitesimal Diamante do Eterno. Todos receberemos esta dádiva da síntese dos 7 Raios, envolta por uma potente e cristalina Auréola dos 5 Novos Raios.
Num ritual belíssimo o 8ºRaio aportará neste orbe consagrando o inter-relacionamento entre os universos dentro de nós.Esta coesão que se realizará de dentro para fora, tornará sem efeito as fronteiras entre os mundos paralelos. Começaremos a reconhecer cada vez mais a nossa face em outra passagem de portal... irmãos de muitos planos dar-se-ão as mãos silenciosamente.
Através de sonhos, através de acções eco-humanas, através de vozes, visões, intuições... as pessoas viverão momentos em que o tempo tornar-se-á quase nulo e o espaço temporal quase inexistente. Uma leveza no corpo, nos sentidos que nos norteiam na 3º dimensão calarão seus antigos dialectos de posses e desejos e em seu lugar uma comunhão, uma solidariedade com a vida se instalará mais frequentemente.Veremos e seremos os actores lúcidos de um novo segmento da Paz no Mundo.Os conflictos ainda existirão, as injustiças ainda serão praticadas no decorrer de 2008. Por vezes, agudamente, extremadamente... porém, o dínamo actrator do teu fragmento diamantino... aquele que te foi ofertado pelas Mãos do teu Criador estará activando individualmente, a forma material em que estás a curar a grande ferida planetária.
Tu és um ser de Luz,
Tu és um ser de Amor,
Tu és o silêncio da Paz,
Tu és o Co-Criador.
Tu és irmão do Sol Central.
Assim, será 2008 em nossos corações e mentes.

1.03.2008

Poema ao Ano Novo. Lindo!


De Elisa Lucinda
Libação
É do nascedouro da vida a grandeza.
É da sua natureza a fartura
a ploriferação
os cromossomiais encontros,
os brotos os processos caules,
os processos sementes
os processos troncos,
os processos flores,
são suas mais finas dores
As conseqüências cachos,
as conseqüências leite,
as conseqüências folhas
as conseqüências frutos,
são suas cores mais belas
É da substância do átomo
ser partível produtivo ativo e gerador
Tudo é no seu âmago e início,
patrício da riqueza,
solstício da realeza
É da vocação da vida
a beleza e a nós cabe não diminuí-la,
não roê-la
com nossos minúsculos gestos ratos
nossos fatos apinhados de pequenezas,
cabe a nós enchê-la,
cheio que é o seu princípio
Todo vazio é grávido desse benevolente risco
todo presente é guarnecido
do estado potencial de futuro
Peço ao ano-novo
aos deuses do calendário
aos orixás das transformações:
nos livrem do infértil da ninharia
nos protejam da vaidade burra
da vaidade "minha" desumana sozinha
Nos livrem da ânsia voraz
daquilo que ao nos aumentar
nos amesquinha.
A vida não tem ensaio
mas tem novas chances
Viva a burilação eterna, a possibilidade:
o esmeril dos dissabores!
Abaixo o estéril arrependimento
a duração inútil dos rancores
Um brinde ao que está sempre nas nossas mãos:
a vida inédita pela frente
e a virgindade dos dias que virão!

1.02.2008

Sobre Krishna-Caitanya!

Sobre Krishna-Caitanya(Prabhupada)
"Em toda Kali Yuga, o Senhor Caitanya aparece para propagar o Yuga Dharma do Hari-Nama-Sankirtana. Esta função religiosa é executada meramente por um Amsa-Avatar do Senhor. Um Kalpa é um dia de Brahma, e um dia de Brahma consiste em mil ciclos de quatro Yugas, ou eras:mil Satya Yugas, mil Treta Yugas, mil Dvapara Yugas e mil Kali Yugas. Somente uma vez no dia de Brahma uma manifestação plena de Svayam Bhagavam Sri Krsna e Svayam Bhagavam Sri Caitanya aparecem neste mundo material.
Porque a Suprema Personalidade de Deus Sri Krsna e Sri Krsna Caitanya aparecem? yuga-dharma-pravartana-haya amsa haite ama vina anye nare vraja-prema dite "Minhas (Amsas) porções plenárias podem estabelecer os princípios da religião para cada era. Mas ninguém além de Mim, pode dar Vraja Prema, o tipo de serviço amoroso dos residentes de Vraja." (Cc. Adi 3.26)
Quando o Senhor Krsna aparece em Kali Yuga somente para propagar o Yuga Dharma, Ele é conhecido como Gaura Narayana. Nesta forma, o Senhor Caitanya como Gaura Narayana, não distribui Vraja Prema ou Manjari Bhava. Portanto, a Kali Yuga na qual estamos é muito especial, porque Svayam Bhagavam Sri Krsna Caitanya Mahaprabhu, não somente propaga o Yuga Dharma como também mostra o padrão mais elevado de serviço devocional (Manjari Bhava), o que não acontece em outras Kali Yugas.
Nós somos muito afortunados em nascermos especificamente nesta Kali Yuga, aonde Svayam Bhagavam Sri Krsna uniu-se com a compleição corpórea (Dyuti) e sentimento (Bhava) de Srimati Radharani para aparecer na Sua forma mais misericordiosa como Rasaraja Mahabhava Sri Gaurasundara. Diferente dos muitos Senhores Caitanya que apareceram em Kali Yugas prévias, Mahaprabhu esta livremente dando o mais raro presente que se pode obter, Radha Krsna Prema-Bhakti.
Que nós possamos realizar nossa boa fortuna por vivermos um pouco após do mais misericordioso Avatar Dourado.Sinceramente rendamo-nos a Ele.
E puramente cantemos o Yugala Mantra para obter Vraja Prema:
Hare Krsna Hare Krsna Krsna Krsna Hare Hare Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare